quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Pão recheado para o final da tarde



Nesses dias de carnaval, enquanto a filha se divertia com os amigos, eu inventava o que fazer para o lanchinho das "crianças" depois da folia. Eu gosto disso. Na verdade, eu prefiro assim: que ela traga os amigos aqui pra casa depois da diversão. Há várias vantagens em poder conversar em grupo com os amigos dos filhos.
Enfim, como estamos falando de adolescentes, as receitas precisam ser encorpadas - depois da folia, eles têm uma fome!!!! - e, mais que isso, precisam ser aromáticas, porque adolescente come primeiro com o olfato. Daí que eu me lembrei de um pão recheado com queijo, presunto e molho de tomate que minha mãe fazia. Era quase uma pizza fechada. Ela chamava de "pastelão". Modifiquei um pouco a receita, mas a cara é a mesma. E, olha: quem está a duas quadras de casa, consegue sentir o aroma do pãozinho no forno, hummmm!

Ingredientes:

Para a massa:


2 tabletes de fermento biológico fresco;
2 ovos;
1 xícara de leite morno;
1/3 xíc. óleo de girassol;
sal;
1 colher (sopa) de açúcar;
3 1/2 xíc. de farinha de trigo (vai sempre mais um pouquinho);
1 colher (sopa) de manteiga.

Em um bowl grande, coloque o fermento para dissolver com o açúcar e o leite morno. Quando diluir completamente, acrescente os demais ingredientes e vá colocando a farinha aos poucos, amassando com as mãos, para ter a consistência certa da massa (está pronta quando soltar das mãos). Coloque para crescer. Se o dia estiver quente, 45 minutos são suficientes.


Para o recheio:

Enquanto a massa está crescendo, vamos ao recheio. Você vai precisar de:

300g de queijo mozzarella;
300g de presunto cozido sem capa de gordura;

Na frigideira:
4 tomates maduros, picados;
1 cebola grande picada;
2 dentes de alho;
orégano (o truque para o olfato adolescente);
sal;
cebolinha verde picada;
pimenta-do-reino;
azeite;
um pouco de passata de tomate.

Coloque na sua frigideira média, a cebola e o azeite, frite um pouco, acrescente o alho e deixe dourar. Coloque os tomates picados e os demais temperos secos. Acrescente a passata na quantidade que desejar para formar um molho de tomate grosso. Espere ferver. A cebolinha deixe por último.

















Montagem:

Quando a massa crescer, corte-a em cruz, formando quatro porções menores (dá quatro pães, a receita. Nas fotos aparecem 3 porque tive que colocar um em assadeira menor, porque não coube). Em uma superfície limpa e plana, espalhe farinha de trigo e abra cada uma dessas porções em sentido do comprimento. Forme grandes retângulos finos com cada porção. Agora recheie: cubra os retângulos com queijo, presunto e a massa de tomate (nessa ordem). Depois, enrole-os como um rocambole (cuidado para a massa de tomate não ficar nas pontas do retângulo, senão vai abrir com a umidade) e deixe novamente crescerem mais uns 20 minutos, descansando dentro das assadeiras untadas e polvilhadas com farinha de trigo. Quando descansarem mais 20 minutos, unte os pães com uma gema batida e leve ao forno preaquecido a 180º por 30 minutinhos ou até que esteja assado (se seu forno for dos bons, em 20 minutos estará pronto).
Sirva ainda quente,  com suco geladinho para os pimpolhos adolescentes (no meu caso, fiz suco de abacaxi com hortelã, porque o calor estava grande). Você vai ver suas 2 horas de cozinha terem sumido em 10 minutos!!!!! Eles adoram tudo o que tem cheiro de pizza!



A todos, bon appétit!



domingo, 12 de fevereiro de 2012

Moqueca de siri

Essa semana fomos ao mercado público, porque o preço do camarão despencou e ninguém é bobo de deixar isso passar assim, sem tomar uma atitude, né? O problema é que sempre que vamos ao mercado público com uma finalidade, voltamos com umas três sacolas a mais e foi assim que almoçamos na sexta-feira passada uma deliciosa moqueca de siri, invenção minha, mas executada pelo marido. O modo de fazer é como de qualquer outra moqueca, a não ser pelo inconveniente de trazer os siris vivos para casa e ter de matá-los em uma panela de água quente, na hora do preparo (siri fresquinho morre em casa, infelizmente. Comprar siri inteiro já morto é perigosíssimo, fica a dica). Então, siga o passo a passo dessa moqueca aqui, usando 1 kg de siris frescos e ainda azeite de dendê e leite de coco. Mas lembre de, antes disso, colocar os siris vivos em uma panela com água e ligar o fogo (você deve desligar  tão logo perceba que já morreram, não precisa esperar a água ferver). Enquanto eles estão na panela com água, prepare a panela de barro com os demais ingredientes e coloque os siris só depois que a base com os legumes estiver fervendo e, por último, despeje o leite de coco:



Fica essa delícia aí:

Salpique coentro antes de desligar o fogo. Sirva com arroz branquinho e farofa ou pirão!

A todos, bon appétit!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Receitinha rápida com gostinho de Nordeste

Daí que, noite dessas, antes de dormir, lembrei de um arroz muito típico da Paraíba: por lá, chamam de arroz da terra e eu não conheço por outro nome. O marido disse que já comeu um bem parecido lá pras bandas da Colômbia, mas aqui no Brasil nunca vi em outra região. É um arroz meio rosado, de estilo muito rústico e vendido em todas as feiras paraibanas. No Mangai - o melhor restaurante de comidas típicas nordestinas - ele é feito de várias formas, principalmente com leite, para acompanhar a carne de sol.
Aproveitei que a filha estava voltando da casa dos avós e encomendei um pacote do arroz da terra. No combo, minha mãe também mandou uma carne de sol "daquelas" (parecia um queijo de tão macia, e com o sal no ponto certo... nós estamos racionando o uso dela aqui em casa, porque dá até pena de acabar). 
Estava num dia criativo e aqui vai uma receitinha rápida para os que moram na terrinha e têm os ingredientes à mão (quem não tem, pode inventar e substituir o arroz da terra por arroz branco e a carne de sol por um franguinho desfiado ou mesmo um frescal de São Joaquim, fácil de encontrar em qualquer supermercado daqui). 

Arroz de forno com requeijão



Ingredientes:
1 e 1/2 xíc. (chá) de arroz da terra;
400g de carne de sol desfiada;
1 cebola roxa fatiada;
1 cebola branca picada;
1 pote de requeijão;
1/2 caixinha de creme de leite
coentro;
sal;
pimenta-de-cheiro;
azeite;
manteiga.

Cozinhe normalmente o arroz, refogando-o. Deixe al dente. Reserve.
Em uma frigideira, refogue a carne de sol com azeite e cebola branca, em seguida, utilize o processador para desfiar. Volte à frigideira com um pouco de manteiga, a pimenta-de-cheiro e a cebola roxa fatiada.

Em uma travessa refratária, coloque o arroz, misture com o requeijão e o creme de leite (este serve para tornar a consistência do requeijão um pouco mais macia e facilitar a mistura). Cubra com a carne desfiada, coloque algumas fatias cruas de cebola roxa para enfeitar e leve ao forno pré-aquecido por 15 minutos. Antes de servir, salpique coentro. Sirva com um suco da região (mangaba, graviola, cajá... hummmm)!

Prato montado, antes de ir ao forno.
Fica delícia! E o que vale é a criatividade - sempre!

A todos, bon appétit!