segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Buenos Aires sem milagres



Acabamos de retornar de mais uma passagem por Buenos Aires e, como sempre, nem mesmo o vulcão chileno foi capaz de estragar os dias especialíssimos com que aquela cidade sempre nos brinda. Um ou outro contratempo, como remarcação de passagens, procura inesperada por hotel para mais dias do que os planejados, mas tudo naquele clima de "ok, pelo menos estamos em Bs As". 
Daí que hoje eu começo nossas resenhas sobre algumas indicações de restaurantes para conhecer, para retornar e para nunca mais voltar! Vamos começar por onde nunca mais voltar, pra acabar logo com isso, então!
Seguimos a dica da revista Viagem que estava nas bancas na semana em que íamos pegar o beco e resolvemos atracar no tal El Almacén de los milagros [Av. Quintana, 210, Recoleta]. A sugestão era um almoço rápido na Recoleta, como prometia a revista. Mas a coisa foi além... de rápido, nossa hora sagrada tornou-se mesmo um tumultuado e atrapalhado encontro com uma comida sem milagre algum! Primeiro que nos colocaram numa mesa sem toalha, porque não tínhamos feito reserva (oi?). Depois, não serviram o couvert de J. ,apenas o meu e o da filha - muito chato ficar esperando um terceiro prato que não vem nunca pra mesa! No fim, nem petiscamos direito porque J. estava sem o prato dele... que indelicadeza! Além disso, a desorganização da cozinha incomodou e os garçons estavam visivelmente despreparados para atender a demanda do dia... até para algo que deveria ser praxe numa cidade como Bs As - servir o vinho - foi desastroso! Vinho este que, aliás, valeu a conta: um Amalaya Gran Corte, 2009 - espetáculo com todos os bravos.
Pontos positivos do restaurante (que talvez justifiquem o nome dele nas indicações de viagem da revista): localização, mobiliário e decoração dignos de um verdadeiro armazém (com aquelas balanças vermelhas antigas e latas de biscoitos da época da vovó), proposta de almoço rápido e descontraído (o que já desobrigaria uma reserva), cardápio enxuto, que oferece ao cliente ótimas opções para entradas e pratos principais, da Itália à Argentina, e uma carta de vinhos que faz jus ao país. 
Por que não voltar? Se você está em Buenos Aires, uma cidade que tem um dos melhores serviços de mesa que eu conheço, isso deve ser merecidamente respeitado pelo turista. Comida boa não é diferencial para restaurante. É obrigação. E há duas coisas que eu não tolero, quando estamos falando desse assunto: primeiro de tudo, ingrediente ruim em prato caro (o que faz uma boa comida é a escolha criteriosa dos ingredientes, desde os básicos, como o azeite ou a manteiga da preparação. Isso tem que ser regra). Segundo, serviço de péssima qualidade. E pagamos por essas duas coisas no Almacén. Motivos para não voltar, não faltaram... os milagres, sim!


Nenhum comentário: