domingo, 17 de maio de 2009

Sob os ares de outono (ou: "antes tarde do que nunca")

Difícil começar um texto quando se tem muito a falar... são tantos assuntos acumulados por aqui, tantas novidades (na vida), tantas experiências gastronômicas e emocionais a engrossar no caldeirão que, por um momento - este mesmo, quando a gente para para escrever (e ainda mais em tempos de acordo ortográfico, quando o para verbo confunde-se com o para preposição) e descobre que as palavras devem ser organizadas de forma lógica e consistente - até dá a impressão que perdemos a mão no sal ou nas especiarias... e acho que foi exatamente pela necessidade de consertar o sal e provar novas especiarias que me distanciei um pouco da assombrosa necessidade da escrita. Foram dias e dias de hiato criativo e martírio psicológico, deixando a poeira acumular-se pelos cantos dos livros e das ideias... foram obrigações outras que me distanciaram desse mundo tortuoso do qual faço parte, desse universo onde tudo já foi dito e onde não cabe o encanto do novo ou a simplicidade da cópia... e nesse processo, em que Lispector esteve tão presente, foi necessário rasgar o verbo algumas vezes, cortar alguns laços infrutíferos, olhar intensamente para os fins de tarde, deixar o coração absorver grandes sentimentos indestrutíveis com a consciência plena e me preparar para o que virá com o corpo e com o espírito... porque - creiam - as mudanças são grandes e uma delas tem olhos verdes do tamanho de azeitonas:



Para abrir com chave de ouro, a receita do prato comemorativo de dia das mães (esse sim, de verdade!):

Costelinha de porco caramelizada no aceto balsâmico

Ingredientes:
1 kg de costela de porco;
1 cenoura grande picada, a jullienne;
2 tomates maduros, sem casca, cortados em cubinhos;
2 dentes de alho;
1 cebola grande cortada;
200ml de aceto balsâmico;
sal;
1 folha de louro;
1 colher (sopa) urucum ou colorífico;
250ml de caldo de galinha (se não quiser fazer o caldo, depois eu dou a marca que é menos agressiva para a saúde);
150g de toucinho (bacon);
50 ml de cachaça.
azeite extra virgem;
cebolinha verde picadinha;
salsa;
sálvia (agora temos na hortinha - está linda).

Modo de preparo:

Em uma travessa, tempere a costelinha com pimenta do reino e limão, reservando por cerca de 2 horas, na geladeira.
Numa panela de ferro, frite o toucinho, em seguida, jogue a costelinhapara dourar. Retire da panela, descartando o excesso da gordura, e deglace com cachaça de boa qualidade. Coloque a cebola, o alho, refogue no azeite, acrescente a cenoura e a sálvia, e deixe cozinhar, até que forme um caldo espesso (cerca de 40min). Jogue o aceto, o colorífico e os tomates, mexendo até que reduza a metade do volume. Volte com a costela à preparação, incorporando-a ao caldo, envolvendo-a nele. Leve ao forno a 150ºC, por 3 horas. Sirva com cebolinha verde e salsa. De acompanhamento, arroz branco e couve mineira frita (corte a couve bem fininha e jogue-a em óleo quente, retirando-a imediatamente - fica crocante e com um sabor muito delicado).
Para fechar o cenário, flores para a mamãe:


A todos, bon appetit!

Nenhum comentário: