quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Etelvina

Faz tempo que estou para contar-lhes a história desta personagem aí ao lado... a nossa Etelvina!

Estávamos passeando por Palermo Soho, ainda em abril, quando deparei-me com a vitrine de uma lojinha bem no tipinho Imaginarium... e lá estava ela: a Etelvina! É óbvio que foi amor à primeira vista! O mais engraçado é que na caixinha da Tetê vinha descrita toda a historinha dela: Etelvina era uma galinha sonhadora. Sonhava em voar alto. Como nunca conseguia, um dia resolveu encher dois sacos plásticos e pular de um prédio alto. Como os sacos não eram suficientes para manter Etelvina voando, ela despencou no chão e perdeu a vida! Sendo assim, em homenagem à pobre galinha, Etelvina virou um puxa-sacos de grande utilidade para enfeitar a cozinha!

Agora, qualquer semelhança com o tal padre baloeiro do PR é mera coincidência! Etelvina não participava de nenhum grupo de apoio aos caminhoneiros em serviço... que fique claro!

Besos!

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Errar é humano...

Voltar a um restaurante como esse aí é loucura!

Para quem mora em Blumenau, a dica para restaurante japonês é: vá ao infalível Miyoshi ou não tenha medo de experimentar a excentricidade e o requinte do Akatori (este menos conhecido fica ali, no Bom Retiro, numa rua super sossegada e você certamente sairá de lá com a sensação de que comeu muitíssimo bem e bebeu melhor ainda). Nós, que dificilmente caímos em tentação e seguimos outdoors, voltamos para casa numa noite dessas extremamente frustrados por não seguirmos nosso próprio conselho... e fomos ao point do momento. A princípio, o lugar - e a propaganda - até podem enganar. Mas, para consumidores atentos e paladares exigentes, o tal Nai-Nai sushi bar, que promete virar uma franquia no próximo ano, é um daqueles equívocos que nos fazem remoer no colchão, na volta pra casa, lembrando das cifras da "dolorosa" e do (quase nenhum) prazer da comida!

Vejam só a cara de J. quando descobriu a cilada onde estávamos prestes a nos meter... hehehe!!! E eu até tive vontade de dizer "não, olha em volta, meu Amor! Veja que lindo lugar. A música - lounge, imitando o Buddha Bar, de Paris (como revela a própria descrição do lugar, no site disponibilizado para consulta) que nem combina com estes quadros orientais nem com as persianas de bambu - é só um detalhe, calma!"... mas, daí o garçom-eu-comecei-aqui-hoje atrasou a entrega da minha Sakerita (algo como uma caipiroska de sakê) tempo suficiente para eu também fazer cara de "ok, você venceu" e ser obrigada a concordar que a noite prometia... dor de cabeça! Daí pra frente, o festival de Temaki virou festa do soninho, porque dava tempo cochilar e beber o shoyu pra acordar de novo até que chegasse a próxima rodada! Não, não vamos falar sobre o salmão nitidamente descongelado às pressas, servido "morno", na alga murcha e úmida e nem sobre o atum em falta... ou ainda sobre o ponto "papinha de neném" do arroz! Não, não, não... nada disso foi mais constrangedor do que ver clientes pulando das mesas e pedindo suas contas, porque eles iriam jantar num lugar no qual servissem a comida antes da fome passar! Ai, ai... fiasco pouco era bobagem!

Então, amiguinhos, não se enganem! Nem sempre o "pequeno, mas limpinho" vale quanto se paga! E, se tinha alguma coisa boa? Sim, tinha: a Heineken estava geladíssima, como pede o clima blumenauense... mas, nada que a geladeira da nossa casa também não seja capaz de fazer!

É por isso que eu sempre digo, a todos: bon appétit!

EM TEMPO: se você tem conta no Google, agora pode nos enviar comentários sem ser preciso cadastrar-se no Blogger! Então, sinta-se em casa!

domingo, 26 de outubro de 2008

Almoço de domingo

E, pra comemorar a volta a este espaço, nada como um bom churrasco de domingo!!! Foram tantos dias de molho, entre obrigações e perrengues do dia-a-dia, que hoje a gente sucumbiu a este lindíssimo corte de alcatra com osso, filé, picanha e maminha... tudo numa só fatia, já pensaram? Foi tudo bem despretencioso... íamos esquentar a poderosa sopinha de Goiás, feita para o jantar do sábado à noite (que ficou uma delícia - diga-se de passagem - e eu ainda preciso postar a receita dessa maravilha aqui, para vocês), quando deu vontade de pôr fogo na churrasqueira da sacada e jogar uma carne só no sal grosso lá. Então, olhamos pela janela do quarto e a casa de carnes aqui da rua ainda estava aberta (abre aos domingos até o meio-dia)... é óbvio que saímos em disparada... e, pra quem ia trazer apenas uma picanha e umas lingüicinhas artesanais, a dica do açougueiro e o olho vivo do chef J. fizeram valer a viagem até o outro lado da rua!

Para acompanhar, a farofa (também da casa de carnes, vendida por Kg e feita com uma farinha muito boa, difícil de se achar aqui no Sul) e esse molho vinagrete que, modéstia à parte, ficou excelente (cebola, cebolinha, tomate, coentro - que plantamos aqui na sacada para darmos um fim ao drama da procura nos supermercados - , sal, azeite e limão).

Ah, e apesar de gaúcho não ser muito adepto à grelha (já que prefere espeto mesmo - hehehe, piadinha pronta, né?), fizemos questão de usar a faca que ganhamos do amigo Rodrigo Greco, trazida diretamente da Festa Farroupilha, mês passado! Essa faca é fabricada a partir de molas de caminhão e tem o cabo de osso, tchê!
A todos, voltem sempre... e bon appétit!

sábado, 11 de outubro de 2008

Momento protesto (ou: "as segundas intenções do trabalho voluntário")


Senhoras e senhores, boa tarde!
Peço um minuto de pausa nas anotações desse cardeninho de receitas para fazer um protesto necessário à minha saúde mental: vocês sabem o que é uma happy people?
Aqui em Blumenau aprendemos o conceito - tão útil - desta expressão. Happy people é a pessoa que tem carro do ano, casa na praia, conta bancária invejável, faz parte de todas as rodinhas sociais da cidade, vai ao menos uma vez por ano ao exterior (sobretudo esquiar, porque é fashion) e, aos sábados, participa do pedágio solidário como contribuição às Ongs locais (nada de contribuição pecuniária, que fique claro! Afinal, o importante é ser solidário). Assim, aqui em Blumenau é costume nos depararmos com os abusivos pedágios das manhãs de sábado, que têm como agentes solidários toda a happy people da cidade. Estacionam seus BMWs nos rotativos do centro e ficam nos sinais de trânsito pedindo uma ajudinha em nome dos deficientes, cegos, surdos e autistas. Para a happy people, esta é a forma mais econômica de contribuir com o pedágio... nada de desembolsar cheques milionários (mesmo que eles não façam falta) para estas insituições. O melhor mesmo é perder uma manhãzinha debaixo do sol!
Esses dias eu estava lendo um certo blog no qual a senhora se dizia uma pessoa que, mesmo estando contra a atual conjuntura política nacional (?), se oferece todas as eleições para trabalhar como voluntária do serviço eleitoral. Não, minha senhora! Vamos pôr os pingos nos is: a lei eleitoral vigente na atual conjuntura nacional (da qual a senhora se diz cansada) oferece como uma riquíssima recompensa, a folga do dobro dos dias de trabalho voluntário nas eleições (ou seja, a senhora trabalha o domingo para ficar em sua casinha, bordando lindos paninhos durante dois dias de sua semaninha). Assim, vamos dar César o que é de César: viva o capitalismo selvagem e a negação da hipocrisia! Se eu tiver que fazer um bem com meu trabalho voluntário, que ele não me seja usado como uma máscara para as segundas intenções! Que eu possa beneficar os outros por vontade própria e não por querer tirar proveito disso... assim, meu trabalho voluntário deixa de ter tal objetivo, ora!
E muito obrigada!

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Ein prosit!

Um brinde, em alemão... por um motivo muito especial: hoje, aqui na cidade, temos a abertura da Oktoberfest. Desde o ano passado, com a chegada das cervejas importadas na festa, houve uma revitalização da Vila Germânica ( o local onde ocorrem as festividades) e este ano parece que a coisa vai ser grande! Para quem não conhece, vale a pena aproveitar um dia desses e vir a Blumenau nesta época.
Até na escola, os alunos vão para as aulas vestidos com os trajes típicos germânicos e então eu ensino português a um monte de Fritz e Fridas louríssimos que, em bom sotaque, me desejam guten tag todas as tardes! Além dos pavilhões de cervejas artesanais e importadas (e também do lindíssimo pavilhão da Bhrama, a patrocinadora oficial da folia - ainda bem, porque assim nós também podemos tomar o Bhrama Black fora do circuito Rio-São Paulo ao menos nesta época do ano), a festa oferece o cardápio alemão que, sabendo escolher onde comê-lo, guarda algumas surpresas! Um exemplo disso é o restaurante das fotos deste post, o Abendbrothaus. Situado na Vila Itoupava (na direção da saída da cidade que dá acesso a Curitiba), este restaurante marca a diferença por ser a casa da família proprietária. Só abre aos domingos e o cardápio é fixo (servem o famoso marreco recheado, purê de maçã, mandioca com bacon, chucrute e salada, além de uma ou outra excentricidade, como a língua ao molho, que eu dispenso). O preço é por pessoa e você come à vontade (os pratos não param de ser repostos à mesa durante todo o tempo em que você permanecer no restaurante). O chopp é Eisenbahn (pilsen e weisenbier - aquele de trigo que fermenta no copo - o meu preferido) e, antes que eu me esqueça, como funciona na casa dos donos, é necessário que se faça reserva. Segundo o Guia 4 Rodas e a Veja, é o melhor restaurante de comida alemã do sul do Brasil. Então, não venham a Blumenau apenas pelas festas de outubro. Venham para conhecer o que os imigrantes que povoaram esta região deixaram para nós, como uma rica herança a acrescentar ainda mais detalhes (e sabores) à nossa história.


quinta-feira, 2 de outubro de 2008

O que combina com uma Heineken?


Bem, aqui em casa, quase tudo: principalmente o sábado e o cansaço! Mas esse prato aí ao lado não deixa por menos: um gratinado de legumes que, quem olha, pensa que é lasanha né????? Que nada! Aí só tem cenoura, abobrinha, batata, brócolis, abóbora paulista e couve-flor! Molho bechamel (o clássico de J.) pra cobrir e um parmesão ralado na hora pra gratinar.
Fica uma coisa de bom! Super fácil de fazer (atenção, solteiros e trabalhadores braçais hehehehe)... primeiro, dá uma branqueada nos legumes, tempera com azeite e sal, arruma no refratário e cobre com o molho e o parmesão... 30 minutinhos de forno e garfadas à vontade! Heinekens geladas para acompanhar!
A todos, bon appétit!