sexta-feira, 30 de maio de 2008

A bela serra gaúcha

Falar da serra gaúcha, para mim, é algo mais que especial... quando ficamos noivos (aquela historinha da aliança com nome gravado e etc), resolvemos comemorar com um passeio em Gramado, Canela e Bento Gonçalves. Então, de posse do nosso inseparável Guia 4 Rodas, umas tantas impressões de pesquisas da net e valiosas informações colhidas de amigos que fizeram algumas vezes o roteiro, partimos para a aventura. Mas, como J. e eu somos adeptos de novas experiências, é óbvio que resolvemos dificultar um pouco as coisas e fizemos um roteiro meio excêntrico: ao invés de seguir a indicação do guia ou o roteiro impresso das rodovias, pela internet, fomos viajando pelo interior de SC, pegando caminhos mais longos... e incrivelmente lindos (vejam por onde nos metemos... em algum momento, pensei que nós estávamos perdidos, mas só revendo estas fotos eu vejo o quão bom foi essa ida):



Notem que isso é muito cedo e a estrada é de chão! O mais legal é ver a geada às 8 da matina (primeira foto).



A idéia era ir por rodovias estaduais até a serra catarinense, pegar um atalho para São Joaquim e visitar a Vila Francioni (uma viníciola que, não apenas pelo vinho, vale muito a pena conhecer). Em São Joaquim, após a visita à vinícola (que deve ser agendada com antecedência - assim como todas as visitas a pequenos produtores na serra gaúcha), almoçamos a ganhamos novamente a estrada. Abaixo, fotos da Vila Francioni, seus cômodos cheios de obras de arte, garimpadas nas viagens do patriarca e fundador do lugar, os parreirais dormindo o sono do inverno, para brotarem elagantes na primavera e o termômetro, na praça central da cidade, pra provar que nem estava tão frio assim:




Não deu pra ver direito neste post, mas o termômetro marca normalíssimos 10 graus positivos, ao meio-dia, em São Joaquim... snif!










E, depois do almoço, seguimos para o Rio Grande do Sul...

Em Gramado ficamos numa pousada não apenas chamosa, mas muito original. A começar pela rua onde está situada (chamada Rua da Paz), tudo lá é calmo e agradável, te fazendo realmente se sentir em sintonia com a natureza. Aliás, em Gramado não há como não se sentir assim. Além do charme da cidade, há vários passeios ecológicos. Nesta época do ano, você pode alugar bicicletas e passear pelos belíssimos parques. No Lago Negro, há o famoso passeio de pedalinho e caminhadas curtas por trilhas com guia.




E a comida! Ah, a CO-MI-DA!!!! Em Gramado, esteja preparado para comer. Rodízios de fondue, massas, carnes, restaurantes de todas as nações reunidos num só lugar. Lá, encontramos um pequenino, mas charmosíssimo restaurante português, bem na avenida das Hortências, cuja chef, muito simpática, nos ofereceu um bacalhau de deixar os bigodes em pé, pois pois! Espetacular! Mas, em Gramado mesmo, as duas melhores opções, em nossa humilde opinião, já foram comentadas em posts anteriores: Bouquet Garni (para ter uma linda vista do lago Joaquina Bier e deliciar-se com pratos feitos por um chef de tirar o chapéu, fechando a visita com ares de renovação do amor) e Belle du Vallais (o melhor fondue da cidade, indiscutivelmente... porque o sabor começa pelo conforto de sentir-se bem).




Se você vai viajar com crianças, o lugar torna-se um paraíso: há o mini-mundo (um parque com miniaturas de lugares internacionalmente famosos em todos os cantos do mundo - são maquetes de propriedade da família dona do hotel, que funciona também no local e tem apartamentos bem orginiais, como os com nome dos Sete Anões... já pensou como seu filho adoraria dormir lá?). Há também o Parque Knorr, onde funciona a casa do Papai Noel (com neve artificial para tirar foto) e as fantásticas visitações às fábricas de chocolate. Aliás, chocolate de Gramado é a melhor opção para lembrancinhas... em minha opinião, os mais gostosos (e, não coincidentemente os mais caros) são os da marca Caracol. Não deixe de degustar antes de escolher os que vai levar (hummmmmm).


Em Canela, a diversão se completa: passeios ao ar livre, montanhas, esqui, feirinhas colonas, cachoeiras.... a cidade, em si, não apresenta muitos atrativos, mas os arredores são riquíssimos de beleza e turismo. Lá, não deixe de visitar o castelinho Caracol e comer o melhor apfelstrudel (folhado de maçã e canela) da região... chegue no fim da tarde e sinta o aroma do chá e da maçã se espalhando pelo lindo jardinzinho do castelo de madeira, construído sem uso de pregos (tipicamente alemão). Visite o parque Caracol e o teleférico, que te leva à beirinha da cachoeira... uma delícia!




Depois de cinco dias de romantismo, cachecol e casacos pesados, então seguimos para Bento Gonçalves... mas isto, é uma outra história!!!!


Beijos e espero que muitas dicas tenham sido úteis.
K.

Nenhum comentário: